Estado de Goiás

Histórico  

 

 

Histórico

A criação da Universidade Estadual de Goiás em 1999, por força da Lei 13.456, de 16/04/1999, delineou uma nova e promissora realidade no Ensino Superior do Estado. Organizada como uma Universidade multicampi, sua sede central em Anápolis é resultado do processo de transformação da antiga Universidade Estadual de Anápolis (UNIANA) e da incorporação de outras 12 Instituições de Ensino Superior isoladas, mantidas pelo poder público.

Inicialmente a Instituição foi vinculada organicamente à Secretaria Estadual de Educação, passando a ser jurisdicionada à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia de Goiás a partir de 29 de dezembro de 1999, com a publicação do Decreto 5.158. A estruturação da UEG sempre foi uma das políticas para o desenvolvimento do estado de Goiás, garantindo a educação superior pública, com base nos princípios éticos e humanistas, de modo a estimular a justiça social e o pleno exercício da cidadania, comprometidos com a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Pelos registros históricos que a constitui, a UEG já nasceu estrategicamente beneficiando todos os municípios goianos, com ênfase nas especificidades regionais. Seu crescimento proporcionou uma experiência inovadora, por meio de um projeto de interiorização das atividades de ensino, pesquisa e extensão, levando à grande maioria dos municípios goianos uma Unidade Universitária com a implantação de cursos de graduação e pós-graduação nas mais diversas áreas de conhecimento, e de acordo com a necessidade, a implementação de Programas Especiais, como o Programa de Licenciatura Plena Parcelada, que proporcionou a formação, em nível de graduação, a milhares de professores das redes estadual, municipais e particular.

Dentre as 186 universidades brasileiras (INEP/MEC 2009), pode-se dizer que a UEG é uma das mais novas entre as instituições públicas de ensino superior do Brasil, que está se reestruturando continuamente sem perder a identidade que traz historicamente por ter incorporado Faculdades como a Escola Superior de Educação Física do Estado de Goiás (ESEFEGO) e a Faculdade de Ciências Econômicas de Anápolis (FACEA), criadas na década de 60 pelo Governo Mauro Borges.

Com muita firmeza, a UEG vai tomando forma com a missão de “Produzir e socializar o conhecimento científico e o saber, desenvolver a cultura e a formação integral de profissionais e indivíduos capazes de se inserirem criticamente na sociedade e promoverem a transformação da realidade socioeconômica do Estado de Goiás e do Brasil” , na condição de instituição multicampi, comprometida com as Unidades Universitárias instaladas em todas as microrregiões do Estado e contribuindo para o desenvolvimento sustentado de Goiás.

UnU Jataí(CÂMPUS JATAÍ)

 

UEG-Unu Jataí, assim como outras unidades, foi criada pelo CSU, através de Res 053/05 e homologada pela Lei 15.804/2006, sendo implantada em nosso município conforme Lei 2.621 de 14.06.05, que autorizava a celebração de um Convênio (nº 018 de 02.08.06) entre Estado e Município, estabelecendo repasse de 1% (um por cento) do ICMS arrecadado, este depositado diretamente na conta corrente da FUEG.

Criada com objetivos bem definidos: formar mão de obra profissional e contribuir para o desenvolvimento regional. A unidade universitária começou suas atividades na antiga sede do CAIC, na região norte da cidade. A confiança e perspectiva de um futuro profissional e pessoal melhor atraem mais e mais acadêmicos para a universidade.

Em fevereiro de 2007 as instalações da universidade foram transferidas para o atual complexo do ISG no setor Samuel Graham. Com uma linha pedagógica forte, atuante e voltada para o mercado de trabalho, a UnU se mantém atenta as novidades tecnológicas. Os alunos são divididos em três turmas dos cursos de Tecnologia em Alimentos e Tecnologia em Logística.

Através do Conselho Universitário no ano de 2014, a Unu Jataí, passa a ser Chamada de Campus Universitário de Jataí, essa modificação veio para consolidar a força da UEG e abrir um horizonte de crescimento e modernização.

No quadro de funcionários entre professores, técnicos administrativos e coordenadores trabalham 49 pessoas. Para atender as demandas internas e externas a instituição funciona em três períodos: manhã, tarde e noite. O quadro de docentes é formado por Especialistas, Mestres e Doutores, como exige o art. 52 da Lei nº 9.394 de 1996.